Home

01343142002

Adaptações do universo do groove na vida prática

OUVIR! LISTEN! Tania Maria ‎~ Come With Me

 A semana começou com um distanciamento da pesquisa em música clássica, tema que ocupou uns dez dias assistindo e escutando tudo o que havia na internet sobre Bach, Beethoven, Mozart, Chopin e Vivaldi. Percebi a necessidade primária de aulas de teoria musical para compreender minimamente a complexidade, genialidade e revolução da obra destes grandes mestres compositores. Mas como o meu instinto de groove não costuma me decepcionar, logo inferi, o cara mais groove é o Bach! Ele tinha muito satanismo e swing nos pés que faziam aquele baixo do órgão soar grave. Algo surreal até os dias de hoje! E sim o heavy metal tem muita coisa de Bach e da música clássica. Nesses momentos faz todo sentido o culto ao Black Sabbath iniciado na juventude.

Contente com a minha mais nova descoberta, o carinha groove da música clássica, a segunda – feira, iniciou ao som de uma pedra [1] do The Uniques[2], “My Conversation” nada mal para quem se encontra na suposta Jamaica brasileira começar a semana dançando esse lindo rocksteady [3] , agarradinho. Dançar música jamaicana agarradinho é uma aula de groove, uma adaptação cultural fantástica que vai facilitar muito a sua vida, principalmente para quem é contrabaixista.

Como o rocksteady é um tema recorrente da minha linguagem de pesquisadora e seletora ludovicense, pois, é o gênero jamaicano que sou mais fissurada e mais escuto, passarei a outro tema muito groove e maranhense sobre o qual tenho falado muito, a jazzista Tânia Maria.

Tânia Maria nasceu em 1948 em São Luis – MA, em 1966 gravou seu primeiro LP “Apresentamos Tania Maria”, que contou com a participação de Neco (guitarra), Luis Marinho (baixo), Edison Machado (bateria) e Maurício Einhorn (gaita).

Em 1974, mudou-se para Paris, onde gravou, no ano seguinte, o LP “Via Brasil”, em parceria com os instrumentistas Hélio (baixo Fender) e Boto (bateria e percussão). Foi no final dos anos 70 que Tânia Maria destacou –se na cena internacional, em um concerto realizado na Austrália, a moça chamou a atenção de Charlie Byrd, que a recomendou a uma gravadora nos Estados Unidos.

Em 1981, fixou residência nos Estados Unidos, onde começou a se destacar no meio artístico por suas apresentações em clubes e festivais de jazz. Neste mesmo ano, lançou o LP “Piquant”, com as faixas “Yatra-ta”, “Lemon Cuíca”, “Super Happy” e “Vem pra roda, todas de sua autoria, além de “It’s Not For Me To Say” (A. Stillman / R. Allen), “Triste” (Tom Jobim), “Chiclete com banana” (Gordurinha e Almira Castilho) e “Começar de novo” (Ivan Lins e Vitor Martins).

Mas foi em 1983 que Tânia Maria gravaria o então disco pedra dela e no meu ponto de vista uma lapada de groove, o Come With Me, com a faixa-título, de sua parceria com Regina Werneck, e “Embraceable You” (George Gershwin e Ira Gershwin), entre outras. O disco lhe valeu indicação ao Prêmio Grammy, na categoria Melhor Performance de Jazz, e a colocou entre as principais cantoras do gênero. Recomendo esse disco que é uma aula de groove e que também é difícil de encontrar, só conheço um LP físico, que tenho a sorte de ser o do meu amigo Chico, que botou na vitrola dele num dia de domingo para eu escutar e para sempre ser tresloucada por ele!! Viva Tânia Maria!! E lembrem –se: O caminho do groove é ad infinitum!!

~

Joana Golin – é cientista social, pesquisadora e seletora no Coletivo Selecta Groove.

Fontes: Documentário – Rocksteady: The roots of reggae; Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira.

[1] Expressão subjetiva utilizada para designar uma música que é considerada um hit ou de qualidade superior no universo da cultura do reggae roots e afins.

[2] The Uniques foi um trio vocal jamaicano de rocksteady e reggae, formada em 66. Seu integrante mais conhecido era Slim Smith, em 67 o trio apresentou nova formação, com Jimmy Riley, Lloyd Charmers e Slim Smith.

[3] O rocksteady é um gênero popular da música jamaicana que teve sua origem na década de 60. Suas letras tem geralmente uma temática social.

*Faixas do Disco acima citado:

A1 Sangria Written-By – Tania Maria Correa Reis 3:50
A2 Embraceable You Lyrics By – Ira Gershwin; Music By – George Gershwin 5:48
A3 Lost In Amazonia Written-By – Tania Maria Correa Reis 5:08
A4 Come With Me Written-By – Regina Werneck, Tania Maria Correa Reis 5:38
B1 Sementes, Graines & Seeds Written-By – Tania Maria Correa Reis 6:20
B2 Nega Written-By – Regina Werneck, Tania Maria Correa Reis 4:06
B3 Euzinha Written-By – Tania Maria Correa Reis 6:27
B4 It’s All Over Now Written-By – Regina Werneck, Tania Maria Correa Reis 5:16

1472006_531697050251081_1517330330_n

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s